WeCreativez WhatsApp Support
Se você for integrador de tecnologia, arquiteto, engenheiro, loja Decor ou Construtora poderá vender nossos produtos de IOT! Nossa equipe de suporte ao cliente está aqui para responder às suas perguntas.
Digital

Sonorização ambiente

Moramos no país do Carnaval e por este fato profissionais “copia e cola” não compreendem que existem diferenças fundamentais entre SONORIZAÇÃO DE EVENTOS e SONORIZAÇÃO DE AMBIENTES. Mais de 70% das instalações de som ambiente estão incorretas, a maioria delas feitas com materiais indicados por balconistas de lojas, instaladores e engenheiros sem formação técnica e expertise adequadas, onde pensam que potência significa qualidade. Sonorização com qualidade exige qualificação em FÍSICA e MATEMÁTICA.

 

SOM PARA EVENTOS
Caracteriza-se como um centro de atenções, com alto volume, usando grandes caixas de som, o volume pode ser alto.

 

SONORIZAÇÃO DE AMBIENTES
A qualidade sonora é fundamental e depende de fatores diferentes: Volume e Frequência. 

 

VOLUME:
Sonorização Ambiente adequada – São instalados falantes em locais de trabalho como lojas, shoppings, supermercados, hospitais, escolas, aeroportos, rodoviárias, igrejas e outros e destina-se a dar informações, localizar pessoas e proporcionar músicas agradáveis e relaxantes, sem perturbar as conversas das pessoas e seus trabalhos. O volume é sutilmente reproduzido apenas o suficiente para ser ouvido.  Não deve ser o centro das atenções, muito pelo contrário. Em inglês denomina-se Background Sound, ou seja: som de fundo.
 
FREQUÊNCIA:
Frequências graves abaixo de 120HZ provoca um fenômeno psicoacústico que interfere nas conversas das pessoas, impedindo o seu entendimento e sua concentração ao trabalho. Provoca também uma retumbância que dificulta a inteligibilidade da voz. Frequências agudas acima de 15KHZ e curvas acentuadas provocam estridências irritantes e deve-se aplainar a curva.

 

 

Na figura acima, para um sistema de Linha de 70V, a soma das potências drenadas pelos transformadores de linha não deverá superar mais de 20%  do amplificador (por canal) em RMS.  Transformadores de potências diferentes poderão ser ligadas na mesma linha, desde que a soma dessas potências não ultrapasse a do amplificador ou do transformador tronco.  A potência assinalada nos transformadores de linha é a transferida ao alto falante. Deve-se utilizar bitolas de fio adequadas as distancias de instalação e isolar bem os cabos da linha, para evitar curtos-circuitos com o decorrer do tempo de uso, este é um dos grandes causadores de incêndios, geralmente por projetos inadequados onde os falantes são instalados em tetos de gesso e acartonados sem proteção a chamas. Os falantes e as fiações entram em combustão facilmente pela tensão entregue em suas bobinas que geram altas temperaturas. Esse fato também é comum em sistemas de ar condicionado mal projetados.

O som ambiente deve ser distribuído uniformemente, com caixas distanciadas de 3 a 8 metros para não haver zonas de som alto e baixo. As potências das caixas podem ser deste 5 até 25W.  Não há necessidade de potência maior em som ambiente.

 

Na sonorização de ambiente são usados alto falantes de 4 a 6 polegadas, tipo Full Range, não havendo necessidade de Tweeter. Para as mensagens de voz exige-se o máximo de inteligibilidade. A faixa útil da voz restringem as frequências de 300HZ até 3.400HZ e é nesta faixa que são projetados os sistemas de comunicações internas como as usadas nas polícias, militares e aeroespaciais  Deve-se evitar as frequências baixas que dão uma voz cavernosa e retumbante, difícil de entender. Impedância é um conceito que vem sendo mal entendido entre leigos de som.  OHM é uma denominação genérica que pode ser usada em diversas situações de medidas específicas e com seus respectivos símbolos:

R para medida de resistividade.

xL para reatância indutiva.

xC para reatância capacitiva.

Z para impedância.

 

Semicondutores e principalmente resistores apresentam resistividade que é a oposição à passagem de uma corrente. A resistividade medida por um multímetro na escala de OHM é apenas da reatância à corrente contínua. Não mede reatância capacitiva, indutiva ou impedância. No exemplo abaixo um resistor de valor fixo é colocado em serie com o falante da arandela para diminuir a potência aplicada tornando-a adequada sonoramente para determinado ambiente. Para evitar dúvidas coloca-se a letra R logo depois do valor. Exemplo: resistor de 10 ohm: 10R – A unidade de medida para resistência ou reatância resistiva é o OHM.

 

A FAIXA DE FREQUÊNCIA IDEAL PARA SONORIZAÇÃO DE AMBIENTES É DE 120 A 15.000 HZ.

A AES (American Engineering Society) recomenda atualmente a faixa de 200 a 12.000HZ, proporcionando um som claro e sem retumbância ou estridentes exagerados. A faixa de 20 a 20KHZ pode ser bom para Home Theater, Som de eventos ou automotivos mas é péssimo para sonorização ambiente.

 

POTÊNCIA EM CADA CAIXA:
Em sonorização de escritórios, lojas, supermercados, escolas etc – a potência sonora pode ir desde 5W RMS até 25W RMS. Para isso utilizamos o potenciômetro para ajuste de cada canal em determinado ambiente. O som em salão de auditório deve ser maior em amplitude do que em uma sala de reuniões.

 

“Como os potenciômetros de fio de 4W pode ser recomendado para caixas de até 25W?”

 

Essa é uma confusão comum entre instaladores leigos. A potência assinalada pelo potenciômetro é a potência máxima de dissipação em forma de calor e não a potência de áudio que o mesmo pode controlar. Os potenciômetros para este fim deverão ser de fio e com valores de acordo com a potência de saída dos transformadores de linha:

  • Até 15W= 50R x 4W –
  • Maior que 15W e até 25W= 100R x 4W
  • Maior que 25W e até 50W= Potenciômetro duplo de 200+200R x 4+4W

 

O potenciômetro duplo de 200+200R deverá ser as suas seções ligados em paralelo ou seja:

Terminal 1 de baixo com Terminal 1 de cima – com cabos laranja
Terminal 2 de baixo com terminal 2 de cima – com cabos amarelos
Terminal 3 de baixo com terminal 1 de cima – com cabos pretos

As principais causas dos leigos optarem por potências maiores são:

1 – O mal dos “brasileiros”: A falta de capacitação técnica adequada cria profissionais amadores que não sabem diferenciar:  Sistemas de eventos, automotivos, novos home theater 7,1 de sistemas empresariais de ambiente a um simples e antigo 3 em 1 residencial. Não sabem distinguir potências RMS e PMPO.
2 – Julgar que a potência marcada no alto falante é a potência de consumo. Essa potência é o quanto o alto falante resiste e não o seu consumo. O consumo depende da potência transferida é marcada no transformador de linha.
3 – Projetos errados, que não utilizam transformadores adequados e podem perder mais de 90% da potência do sistema além de causar danos a propriedade.

 

RESUMINDO:
As caixas de som devem estar espaçadas de 3 a 5 metros entre si. Se o ambiente é grande, e a sonorização é de Linha 70V, deve-se aumentar a quantidade de caixas e não a potência de seus amplificadores, e não esquecer que as arandelas devem ser balanceadas com transformador e controle de volume.  A  Linha de 70V é destinado a pequenas  distâncias. Para maiores distâncias, opte pela Linha de 210V.

Evite frequências abaixo de 120Hz.  Frequências baixas podem ser bons para home theater, shows, som automotivo e outros, mas não para som ambiente. O som ambiente de qualidade deve ser suave, com frequências a partir de 120Hz até 15kHz, não devendo atrapalhar as conversas entre pessoas, telefonemas e a concentração ao trabalho e estudos. Frequências abaixo de 120Hz ficam retumbantes, atrapalhando a concentração das pessoas e frequências acima de 15kHz podem ficar estridentes, irritando as pessoas.

 

“A vida é regida pela FÍSICA e MATEMÁTICA
                                                   Sérgio Morelli

Portuguese Chinese (Simplified) English